Search site


Contact

Me dispo, de despeço, me despedaço

27/10/2008 01:45

 

Ultimamente tenho estado às voltas com a grafologia, que alem de ser o mais novo ramo do conhecimento ao qual me dedico, é a ciência da escrita, que, entre outras coisas, visa obter o conhecimento da personalidade de uma pessoa através de sua letra. Para os grafólogos, cada letra é uma parte de nós.

Foi quando me deparei com um estudo sobre o torá essa semana, que é o livro sagrado do judaísmo, e em hebraico significa lei.

Enfim, o Torá diz, em certa parte de suas escrituras, que nosso destino já está traçado dentro do livro da vida, e que no final vamos receber nossas bênçãos e castigos de acordo com seuas leis.

 

Nesse exato momento minha mente não pode deixar de fazer um paralelo entre a religião e a ciência, e imaginar que no livro da vida, somos apenas letras, separadas por virgulas e pontos, e que de certa maneira, não fazemos sentidos para nós mesmos, e sim para alguma ocasional divindade que nos lê de fora, assimila o texto todo e diz se gostou ou não. Se nossa vida for realmente uma comédia, espero que seja um leitor bem humorado.

 

Enfim, a idéia de ser tratado como uma letra me entreteu, e, ao falar de amor através dela, espero que faça o mesmo com vocês.



 

 

Escreve a mim amado

Escreve amor sem parágrafo.

 

Desenha a linha que era minha

Põe o ponto final no que eu tinha.

 

Escreve a máscula letra maiúscula

Apaga a minha vida minúscula.

 

Pegue as folhas, rasgue todas elas

Feche o livro e vá para suas donzelas.

 

Escreva sem floreios,

Esqueça minhas crenças e meus devaneios.

 

Eu sou uma literatura fina

E você era uma leitura indigna.

 

E como você tinha mitos contos

Então estou aqui colocando todos os pontos.

 

Não quero uma vida ambígua, seus contos não são um pretexto

Mas não vou colocar uma vírgula em pleno fim do meu texto

 

Então te coloco um ponto final,

E renuncio a todo amor carnal.

 

E entrando num casulo de borboleta

Ponho um mudo vestido só de letras

 

E, desfilando num silencio abafado,

Me dispo, me despeço, me despedaço.

 

Gabriel Pahbst.

 

Me dispo, de despeço, me despedaço

Date: 29/10/2008

By: Cadu

Subject: Tenho mais o que fazer que colocar um título aqui

=P
Eu discordo da Torá. Mas se vc pensa que somos letras letras como letras são parte de um texto maior, mas que nem sempre letras representam os mesmos fonemas, e que pelos sotaques elas podem mudar, e que como letras, guardando sua consciência... chega, viajei demais. =P
Acho que o destino a gente que faz.
Mas vc escreve tudo muito bonito.
Mas eu sou suspeito pra dizer. =P

Date: 31/10/2008

By: Pitada

Subject: Re: Tenho mais o que fazer que colocar um título aqui

Eu acredito que a dialetica das letras, enquanto leitura poetico-moderna, visa resgatar uma nova visao de Clara Nunes, num claro paradigma no meio da avenida Brasil que vai de encontro com a quinta avenida, em Shangai, passando, claro, por madureira, os portais dimensionais e chegando finalmente em power rangers.
Quem viaja mais? =P

E voce nao é suspeito nada.

Grosses Bises.

Date: 28/10/2008

By: Edson Marques

Subject: Jogo

Você joga com as palavras.

E ganha delas.


Abraços, flores, estrelas..

http://mude.blogspot.com

Date: 31/10/2008

By: Pitada

Subject: Re: Jogo

É uma luta desigual... para mim.

Date: 28/10/2008

By: Luiza

Subject: luiza.aquino@gmail.com

Fantástico! Embora eu tenha entendido do meu jeito...

Date: 28/10/2008

By: Luiza

Subject: If I knew it, I would have written it in this fucking space

PUTA QUE PARIU! Lindooooooooooooooooooooooooooooooooooooo! Não, eu não entendi a real desse poema. Li à minha maneira e, pode ter certeza, foi melhor assim.
Lindo, lindo! C é fantástico!
C perder o lápis de olho dentro de alguém de novo, eu te arrebento!
Me dispo, me despeço, me despedaço.




Quero dar fim ao meu cabaço!


Foi infame, mas rimou!

Date: 28/10/2008

By: Pitada

Subject: Re: If I knew it, I would have written it in this fucking space

Liricamente infame =P

Entenda como quiser, mon bijou, meus escritos são democráticos =]
E pode deixar que agora guardo meu lapis como as hespérides guardam seu jardim =P

Grosses Bises.

Date: 27/10/2008

By: Bruno Altino.

Subject: bruno.altino@hotmail.com

uau! adorei.
você descreveu muito bem a tua situação atual nesse poema... pelo menos analisando o que você me conta, eu posso dizer isso. :P
parabéns por escrever bem assim!
e adorei o site novo também. ^^
beijos! ;*

Date: 28/10/2008

By: Pitada

Subject: Re: bruno.altino@hotmail.com

Como paulatina (ou paulistana)mente observado, falo de mim sim, que bom que gostou, se descrever é muito mais dificil que escrever simplesmente.

E aguarde mudanças no site!

Grosses Bises.